15 anos

Outubro. Início de faculdade, toda a minha vida em modo “tábua rasa”, porque agora ia tudo começar. Cara pintada, aceitando cada praxe sempre com medo do que viria a seguir. Tu apareceste (não para me salvar, mas para reforçar que aquele era o meu destino e que aquele era só o início de uma bela amizade). Flirtámos sem consequências imediatas, mas ambos criámos ali uma marca na nossa alma de que nunca mais olharíamos um para o outro de forma banal.

Março. Mas de um ano depois. Estávamos juntos. Como tinha de ser, como só podia ser. E vivemos a felicidade da partilha e o desgosto da distância. Acreditámos em nós, mesmo quando em momentos antes achámos que não fazia sentido. 

E tem sido assim desde há 15 anos. Porque nada é perfeito, é bom continuar a acreditar mesmo quando o mundo (ou nós próprios) nos diz que não é fácil. Nunca é fácil, já sabemos. E vamos continuar a falhar, vamos continuar a perder a razão. Mas vamos continuar.

Hoje não vamos estar juntos, temos kms a separar-nos, mas não faz mal. A distância reforça as “borboletas no estômago”, as lembranças boas e os desejos de planos para o futuro.

Anúncios

Uma opinião por dia...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s